Foto

Auto - Estima... Auto - Referencia.

            Nem sempre olhamos para o espelho e encontramos a pessoa maravilhosa que gostaríamos de ver. O segredo para acabar com esse conflito é aprender a lidar com a auto - estima.

       

               O relacionamento de vários anos acabou, a promoção no emprego não saiu, o duro regime para emagrecer não deu certo.

               A maneira com que encaramos esses momentos da vida, sem dúvida, depende do quanto nós nos amamos.

               Se avaliamos tudo de forma pessimista vamos concluir: sou um lixo, não sirvo para nada, as coisas nunca dão certo na minha vida.

               O que nos permite fazer estas afirmações nasce de um complexo sentimento do qual ouvimos falar a toda hora, mesmo sem saber muito bem como defini -lo: a auto-estima, um julgamento que fazemos de nós mesmos, a maneira como nos imaginamos ser e agir e como avaliamos as nossas capacidades. Ou seja: é a forma como reconhecemos nosso próprio valor.

               É o nível de auto-estima que diferencia o peso que cada um dá aos episódios desagradáveis do dia-a-dia.

               Após um término de relacionamento afetivo, se você tem boa auto - estima, no mínimo você vai dizer: "quem está perdendo é ela, a outra pessoa”. Claro que você vai sentir e passar por sentimentos de perda, mas sem ter pavor, sem desestruturar sem sofrer além da dose adequada para o caso e principalmente sem pensamentos de vingança.

              Quando você tem auto-confiança não é preciso vingar. A arma do fraco é a vingança.

               Se você está em uma estrada com um Mercedes Benz e alguém lhe ultrapassa, não é necessário acelerar e mostrar que o carro é mais forte.

               Se você tem necessidade de vingar, de ultrapassar, com certeza você não tem confiança no taco.

                Quantas vezes passamos uma vida inteira dizendo: "Eu não gosto de carnaval, isso é coisa de pessoas loucas, é preciso beber muito para encarar”.E, depois você percebe que a verdade você não é capaz de pular carnaval, sente-se inseguro, desajeitado, tímido, sem confiança em você e, portanto com baixa auto-estima. Precisamos saber separar: eu não gosto ou eu não dou conta de fazer? É muito diferente.

                Se a pessoa que você ama o abandonou, tudo bem ficar de "luto” por algum tempo.

                Mas, agir da mesma forma porque um passageiro namoro de férias não vingou é um sintoma de dificuldade de lidar com sua auto-estima.

          Para manter uma boa auto estima é preciso maturidade. Sem ela não se atinge a estabilidade emocional necessária para lidar com os sentimentos e para enfrentar situações que podem abalar o auto-reconhecimento.

              As pessoas emocionalmente maduras, quase sempre, têm uma dose de narcisismo.

              Por isso nos consideramos aptos a realizar projetos e a vencer na vida, além de nos sentirmos queridos e atraentes para seduzir e interessantes para manter laços amorosos e de amizade.

               Portanto, não tenha vergonha de chegar diante do espelho e dizer: "Eu sou o máximo" ou "Eu me amo, eu não consigo viver sem mim".

               É diferente de se achar o melhor de todos, aquele que, de tão perfeito, não se mistura aos simples mortais.

               Excesso de auto-estima é chatura e babaquice: são pessoas prepotentes, que falam alto demais "ensimesmados”, donos-da-verdade, egoístas. Isso atropela as relações sociais.     

              O primeiro passo para elevar a auto estima é tentar descobrir os motivos da tristeza. O que disparou o gatilho. Qual o momento em que iniciou a crise de baixa auto - estima.

             Geralmente atrás de tudo se esconde um sentimento de perda ou uma expectativa frustrada como um casamento que acabou ou o esperado aumento de salário que fracassou.

               A partir daí surge o "complexo de inferioridade": eu não consigo, eu não dou conta, essa mulher não é para mim. 

 

Importante: aceitar mais e cobrar menos

 

 

               Imagine você querendo aprender a dançar e comprar um livro que lhe explica: são dois pra lá, dois pra cá.

               Imagine você querendo descrever o gosto da laranja.

               Imagine um professor lhe ensinando a nadar apenas lhe dizendo fora d'água: é só você movimentar os braços e as pernas e respirar de lado. Você nunca vai aprender.

               Só se aprende a dançar dançando. Experiência não se transmite. É necessário, ás vezes, cair para levantar. Quantas vezes damos um passo para trás na vida para em seguida darmos um salto para frente.

               O que caracteriza o forte, o vencedor é não ter medo de tentar, não ter medo do ridículo. É melhor errar duas vezes e acertar oito do que não errar nenhuma, mas também não acertar nenhuma.

               Amadurecer e aprender que somos humanos, cheios de qualidade e defeitos, sujeitos a erros e acertos é que nos faz seres humanos e pessoas estáveis e felizes.

               As coisas nem sempre acontecem como esperamos, nunca seremos exatamente como gostaríamos e tampouco somos deuses para controlar o desfecho dos acontecimentos.

 

 

 

VOLTAR